domingo, 29 de outubro de 2017

Vejam esta entrevista que demos para o jornal da Faculdade de Medicina da UFMG:

https://site.medicina.ufmg.br/inicial/diu-e-alternativa-para-contracepcao-segura/


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Dúvidas: Você precisa “descansar” de vez em quando com uso da pílula anticoncepcional?


clip_image002
Falso:


Esta é uma das crenças mais comuns sobre a pílula, até mesmo por alguns profissionais de saúde. A ideia de fazer uma pausa da pílula pode ter suas origens no fato de que as pílulas mais antigas tinham altas doses hormonais. Algumas pessoas também acham que esse “descanso” é necessário para manter os níveis de fertilidade. No entanto, não há razão para as mulheres fazerem isto, como por exemplo, descansarem um mês por ano. De fato, o reinício repetido da pílula pode ser mais prejudicial do que a situação relativamente em estado estacionário que é mantida durante o uso sustentado. Além disso, como a maior parte dos efeitos colaterais geralmente ocorrem nos primeiros meses de uso da pílula, ao reiniciar o seu uso, as mulheres podem ter esses mesmos efeitos novamente.

Palavras-chave: pílula anticoncepcional, anticoncepcional oral, pausa, descanso.

Dr. Antônio Aleixo Neto

Prof. Aposentado da Faculdade de Medicina da UFMG.

Mestre em Saúde da Mulher – UFMG

Mestre em Saúde Pública – Harvard University





domingo, 1 de outubro de 2017

Proteção x riscos da pílula: qual a verdade?


Nos últimos anos a pílula anticoncepcional tem sido alvo de uma intensa campanha contra seu uso, através de redes sociais e de fake news. Este verdadeiro massacre é baseado em alguns poucos riscos que ela pode causar (trombose, enfarto, AVC, câncer de mama), sem levar em conta, em dimensão numérica, contra os inúmeros benefícios além da contracepção que a pílula proporciona.
O conhecimento desses benefícios além pode ajudar à escolha mais consciente por parte dos médicos e pacientes do método anticoncepcional mais adequado para cada caso.




Sangramento menstrual:

Há muito é conhecido que as pílulas anticoncepcionais combinadas podem reduzir em até 50% a quantidade de sangue menstrual. Somente este fato proporciona uma diminuição nos casos de anemia em mulheres que usam a pílula. A minipílula ou pílula progestínica é tomada continuamente e de um modo geral interrompe o ciclo menstrual, diminuindo também a perda menstrual.

Cólicas

Cólicas menstruais:

Além da diminuição do sangramento menstrual, as pílulas também diminuem acentuadamente as cólicas menstruais que causam tanto desconforto em muitas mulheres. Em jovens usuárias há uma evidente melhoria da qualidade de vida e uma diminuição do absenteísmo escolar. Este efeito também se observa nas minipílulas e implantes.

Endometriose:

Há fortes evidências que as pílulas diminuem a incidência e/ou as manifestações da endometriose. Para que já tem esta patologia, as pílulas podem usadas continuamente para controle das dores pélvicas e cólicas.

Síndrome dos ovários policísticos:

A pílula combinada é considerada uma das mais importantes armas no tratamento desta síndrome, também chamada de Síndrome Anovulatória, por que geralmente as mulheres não ovulam ou o fazem irregularmente. Há uma melhoria da acne, do engrossamento dos pelos, da pele e cabelos oleosos, entre outros efeitos benéficos, como a prevenção do câncer do endométrio. Os anticoncepcionais baseados apenas nos derivados da progesterona, como a minipílula, o DIU hormonal e o implante não têm este efeito benéfico.

Cefaleia menstrual:



Cerca de 25% das mulheres relatam enxaquecas ou dores de cabeça no período pré-menstrual ou menstrual. Elas ocorrem devido a variações hormonais, principalmente pela diminuição dos níveis de estrogênios nesta fase. O uso da pílula pode melhorar bastante este sintoma, principalmente no uso dos regimes 24 dias por 4 de descanso ou o uso estendido*. O uso contínuo da pílula progestínica (minipílula) é uma que tem um dos melhores resultados. Mas, ATENÇÃO: mulheres com enxaqueca com AURA* têm um risco aumentado de AVC (derrame cerebral) com o uso de pílulas COMBINADAS (com dois hormônios). Só podem usar as pílulas progestínicas ou o implante.

Síndrome pré-menstrual (TPM)


Essa síndrome desagradável afeta cerca de 40% das mulheres e por consequência seus maridos e companheiros.... Decorre, entre outras coisas, das flutuações hormonais que ocorrem no final do ciclo menstrual. O uso de pílulas é considerado tratamento de primeira escolha para esta síndrome. Pode ser usada em várias formulações e também em uso estendido**.

Câncer de ovário e do endométrio

A incidência do câncer do ovário diminui sempre que há uma supressão da ovulação. Isto ocorre em quem amamenta mais, têm mais filhos e que tomam pílulas! A incidência cai em até 50%. O uso de anticoncepcionais orais protege também, a longo prazo, o desenvolvimento do câncer de endométrio, o tipo de tumor uterino mais comum. Somente na última década calcula-se que foram prevenidos cerca de 200 mil casos em todo o mundo!
Outras situações:

Além desses importantes efeitos benéficos da pílula já citados, podemos acrescentar: a diminuição da possibilidade transmissão da gonorreia, diminuição da incidência de fibroadenomas mamários, diminuição da incidência de cistos funcionais ovarianos e efeito benéfico na flora vaginal saudável, diminuindo a incidência de vaginose bacteriana.
Lembramos que cada caso é um caso e que o médico e a paciente devem colocar na balança os possíveis riscos x os benefícios e decidirem conscientemente sobre a melhor escolha.

Em resumo, o uso de anticoncepcionais orais e os implantes, propicia um efeito protetor além da contracepção muito importante entre as suas usuárias, suplantando, em muito, os riscos do seu uso.


*Sintomas da enxaqueca com AURA

Os sintomas de enxaqueca com aura estão relacionados com distúrbios visuais, auditivos, sensitivos ou motores, e incluem:
Ruído no ouvido;
Dificuldade para falar;
Tontura ou perda do equilíbrio.
Dificuldade para movimentar os olhos;
Luzes piscando, manchas brilhantes, visão borrada;
Formigamento na cabeça, lábios, língua, braços, mãos ou pés;
Alucinações como por exemplo sensação de estar caindo, ou de os objetos serem maiores ou menores do que na realidade.

**Uso estendido: é o uso da pílula anticoncepcional sem as pausas mensais

Palavras-chave: contracepção hormonal, pílula anticoncepcional, implante, efeitos benéficos, hemorragia menstrual, cólicas menstruais, endometriose, prevenção do câncer, cefaleia menstrual.


Dr. Antônio Aleixo Neto
Prof. Aposentado da Faculdade de Medicina da UFMG.
Mestre em Saúde da Mulher – UFMG
Mestre em Saúde Pública – Harvard University

©Todos os direitos reservados.